lukas castro » Preço do Teu Riso

blog

Toc-toc, posso entrar? [1]

– Não. – Não? Porquê? – Nossa, tá uma bagunça aqui dentro! – Mas não tem problema. Eu não me importo com isso. Aliás, eu até te ajudo. Tá precisando de alguma coisa? – Não! Na verdade… Sim. Mas não precisa se preocupar. Eu consigo resolver sozinho. Só preciso colocar umas coisas no lugar e […]

– Não.
– Não? Porquê?
– Nossa, tá uma bagunça aqui dentro!
– Mas não tem problema. Eu não me importo com isso. Aliás, eu até te ajudo. Tá precisando de alguma coisa?
– Não! Na verdade… Sim. Mas não precisa se preocupar. Eu consigo resolver sozinho. Só preciso colocar umas coisas no lugar e tal. Não precisa se preocupar, sério. Eu só preciso de um tempo.
– …
– Quando as coisas estiverem mais organizadas eu te ligo, não sei.
– Tá certo. Tudo bem… Então, vou indo.
– Ok.

continue lendo +


vamos culpar o destino

Éramos conhecidos? Colegas de quarto, talvez. Passamos no mercado e compramos alguns quilos de ilusão. É para viagem, por favor. Pessoas aversas num conjunto de ações mal planejadas e sentimentos deixados às traças, às quais só se reproduziam, enquanto regávamos o pensamento de que “o tempo cuidaria de resolver”. Jovens irresponsáveis, inexperientes e inúteis.

Éramos conhecidos? Colegas de quarto, talvez.
Passamos no mercado e compramos alguns quilos de ilusão. É para viagem, por favor.
Pessoas aversas num conjunto de ações mal planejadas e sentimentos deixados às traças, às quais só se reproduziam, enquanto regávamos o pensamento de que “o tempo cuidaria de resolver”. Jovens irresponsáveis, inexperientes e inúteis.

continue lendo +


transparências

Hoje, ao acordar, me banhei com um daqueles sonhos, tão inundante, que fui submerso. Afundando mais em meu idealismo, tive a feroz vontade de viver como meu auxilio, meu respiro. Me vesti da confiança mais descarada e forçada, de todo desejo de transpirar amor descarado e forçado e da vontade de pagar o mal com […]

Hoje, ao acordar, me banhei com um daqueles sonhos, tão inundante, que fui submerso. Afundando mais em meu idealismo, tive a feroz vontade de viver como meu auxilio, meu respiro. Me vesti da confiança mais descarada e forçada, de todo desejo de transpirar amor descarado e forçado e da vontade de pagar o mal com sorrisos escancarados e forçados.
continue lendo +