lukas castro » Arquivo » Dopamina

Dopamina

Naquela noite éramos eu e ela
E aquela nossa guerra
De fazer o que cabia certo ao ver de quem nos via

E que muito interferia
E que muito palpitava
E que nos tirava a graça e o poder de decidir

O que a gente queria
Uma dose certa de dopamina que faltava para animar
O que a gente sabia
Ser o que sabia
Mas você que não queria

Se aventurar
Das barras de saia largar
Meter a colher
E sua valsa dançar
A ingenuidade não te tira do lugar


avalie:

Comentários