lukas castro» Arquivo » vamos culpar o destino

vamos culpar o destino

Éramos conhecidos? Colegas de quarto, talvez.
Passamos no mercado e compramos alguns quilos de ilusão. É para viagem, por favor.
Pessoas aversas num conjunto de ações mal planejadas e sentimentos deixados às traças, às quais só se reproduziam, enquanto regávamos o pensamento de que “o tempo cuidaria de resolver”. Jovens irresponsáveis, inexperientes e inúteis.

Concluo que fizemos de tudo um pouco e muito pouco por tudo o que era nosso.

Não dá pra culpar um ao outro, apesar de dentro de mim, querer te apontar o dedo e dizer que você me fez desperdiçar anos úteis da minha vida. Não dá pra culpar um ao outro, se terei que abaixar as orelhas enquanto admito o quanto fui omisso e que te dei muitas sobras de mim. Não dá pra culpar um ao outro. Então, vamos culpar o destino. Sei lá. Vamos dizer que ele tratou de nos unir quando não deveria e que aceitamos por falta de experiência, mesmo. Destino, seu tolo! Que isso não se repita e obrigado.

Bom, acho que já vou. Nessa mala aqui, levo algumas roupas. Umas cinco/dez peças no máximo. Mas esse peso todo é do tanto de desilusão que eu estou levando embora. Pra você ver. Ela nem fecha! Seria muito eu pedir pra me ajudar a fechá-la? Prometo não voltar. Eu não quero voltar, aliás.

Me ajuda a levar essas coisas até o carro? Tem essas malas aqui, uma quantidade mediana de peso de consciência ignorado e que estão naquelas bolsas no canto da sala e também aquelas caixas cheias de palavras que poderíamos ter usado pra amenizar as crises, mas que nunca desempacotamos. Já as desculpas, (apesar de rasas e talvez, só por educação ou conveniência) estou deixando em cima da cama.

Depois eu volto para pegar mais pertences. Talvez eu nem volte. Acho que vou refazer meu guarda-roupa. Ta aí uma boa.

Bom, acho que é isso. Se não quiser me encontrar pelos lugares que costumávamos frequentar juntos, me avise. Será um prazer te evitar.

Sucesso.

—–
imagem: kyle thompson


avalie:

Comentários